terça-feira, 14 de julho de 2009

«AUGUSTO DE CASTILHO»


Era o arrastão «Elite» da Parceria Geral de Pescas. Foi requisitado em 1916 pela Armada Portuguesa e transformado em patrulha de alto mar. E não em caça-minas, como geralmente se pretende. Depois de militarizado, este navio recebeu o nome de «Augusto de Castilho» e foi prontamente afectado a missões de escolta no oceano Atlântico, onde, por mais de uma vez, detectou a presença de submarinos inimigos. Em Agosto de 1918 foi colocado sob o mando do primeiro-tenente Carvalho Araújo. A derradeira missão do «Castilho» consistiu em escoltar o vapor «S. Miguel», que largara da ilha da Madeira a 13 de Outubro de 1918 para Ponta Delgada, nos Açores, com 206 passageiros a bordo. No dia seguinte, o referido paquete foi alvejado pelo U-139, cujo capitão era o temível Lothar von Arnauld de la Perière, o ás alemão da guerra submarina. O «Augusto de Castilho» fez-lhe frente imediatamente, apesar da evidente desigualdade de forças. Após duas horas de renhido combate, as modestas peças de artilharia do patrulha português revelaram-se insuficientes para dar réplica ao armamento do U-139 e o combate terminou com o afundamento do pequeno navio da nossa Armada, a bordo do qual só havia mortos e feridos graves. Carvalho Araújo foi um dos marinheiros que perdeu a vida nesse duelo desesperado; mas que não foi inútil, já que o sacrifício do «Augusto de Castilho» e da sua abnegada tripulação permitiu ao vapor «S. Miguel» chegar aos Açores são e salvo.

Sem comentários:

Publicar um comentário