segunda-feira, 20 de julho de 2009

«CAP ARCONA»


Era um luxuoso paquete alemão de mais de 27 000 toneladas de deslocamento, pertencente à companhia Hamburg-South America Line. Foi lançado à água pelos estaleiros hamburgueses da firma Blohm und Voss em 4 de Maio de 1927. O seu armador colocou-o a fazer serviço numa linha regular, que fazia escala nalguns portos do canal da Mancha, em Lisboa, nas Canárias, no Rio de Janeiro, em Santos e em Buenos Aires. Trajecto que o «Cap Arcona» demorava, geralmente, quinze dias a percorrer. Apesar da crise que muito prejudicou os transportes marítimos na década que precedeu o segundo conflito generalizado, este paquete manteve-se nessa linha até ao início da guerra. Em Novembro de 1940 o navio foi levado para o porto de Gdynia, onde serviu de aquartelamento às tropas da 'Kriegsmarine'. Em princípios de 1945, quando já se anunciava a derrota definitiva do 'reich' nazi, o paquete foi reactivado para poder evacuar refugiados civis, prisioneiros de guerra e até militares germânicos derrotados pelo exército soviético na Alemanha oriental. A 3 de Maio de 1945 (a escassos 5 dias da derrota definitiva de Hitler), quando o «Cap Arcona» se encontrava ancorado na baía de Neustadt e tinha a bordo milhares de pessoas, sofreu um imparável ataque de aviões da R. A. F., que o incendiou. Nessa violenta investida contra o paquete morreram perto de 5 000 homens, mulheres e crianças. As autoridades britânicas alegaram ignorância quanto à natureza da carga transportada pelo «Cap Arcona»; navio que, depois do fim do conflito, foi desmantelado.

Sem comentários:

Publicar um comentário