sexta-feira, 17 de julho de 2009

«DÃO»


Contratorpedeiro da Armada Portuguesa. Foi construído no Arsenal da Marinha no princípio da década de 30 (do século XX), sob a supervisão da Yarrow Shipbuilder, firma britânica autora do projecto. Pertencia à classe 'Vouga', que compreendeu 7 navios (2 realizados para a marinha de guerra colombiana e 5 para a nossa própria armada). O comprimento do «Dão» era da ordem dos 98 metros e a sua velocidade máxima podia atingir os 36 nós. Estava armado com 4 peças de 120 mm, 3 peças de AA de 40 mm, 2 tubos lança-torpedos e 2 lançadores de cargas de profundidade. Tornou-se célebre, pelo facto de parte da sua tripulação ter aderido à chamada Revolta dos Marinheiros, que ocorreu, no Tejo, a 8 de Setembro de 1936; e que constituiu um acto de resistência à ditadura de Oliveira Salazar e uma demonstração de solidariedade para com a República Espanhola. Esta rebelião foi severamente reprimida pelo Estado Novo, já que houve mortos a lamentar e muitas deportações para o campo de concentração do Tarrafal. O contratorpedeiro «Dão» foi abatido do serviço da Armada em 1960.

Sem comentários:

Publicar um comentário