quinta-feira, 23 de julho de 2009

«SENHORA DA CONCEIÇÃO»


Foi o antigo «Ripple», um navio de 210 toneladas construído no estaleiro Philip & Son Ldt, de Dartmouth (Inglaterra). Media 30,26 m de comprimento por 7,16 m de boca. Quando esta escuna foi adquirida, em 1888, por Francisco Henriques, da ilha da Madeira, passou a chamar-se «Esperança». Mudou mais duas vezes de mãos. O seu derradeiro proprietário foi João Martins da Silva (outro ilhéu) que, em 1907, o ofereceu a sua esposa (Carolina Amélia Martins da Silva), que lhe atribuiu o seu nome definitivo : «Senhora da Conceição». Foi com este veleiro que a sua nova dona iniciou a actividade da Empresa de Navegação Madeirense, que ainda hoje existe. A escuna «Senhora da Conceição» consagrou-se à ligação Madeira-continente e à navegação de cabotagem na Europa ocidental. Em 19 de Março de 1917, quando vogava de França para o Funchal (com um carregamento de enxofre) a escuna foi torpedeada ao largo da costa galega pelo submarino U-52, comandado pelo capitão-tenente Hans Walther. Os seus 8 tripulantes lograram, todos eles, sobreviver ao pérfido ataque do submersível.

Sem comentários:

Publicar um comentário