terça-feira, 28 de julho de 2009

«AMÉLIA» (III)


Ex-«Giralda», ex-«Geraldine». O vapor de recreio «Amélia» (III) foi adquirido por D. Carlos (ainda então duque de Bragança) em 1888. Era um navio de propulsão mista (vela/vapor), de três mastros, que dispunha de uma máquina Compound desenvolvendo uma potência de 320 cv. Media 44,90 m de comprimento por 6,38 m de boca e deslocava 301 toneladas. Foi construido em Leith, na Escócia, pelo estaleiro Ramage & Ferguson e era muito maior do que os primeiros «Amélia». Podia atingir a velocidade máxima de 11 nós. A sua equipagem compreendia 20 homens e reunia condições para receber a bordo uma equipa de 20 investigadores, que assistia o rei, cada vez mais envolvido na pesquiza oceanográfica. O «Amélia» (III) apoiou as campanhas científicas promovidas por D. Carlos I nos anos de 1897 e de 1898. Apesar das melhorias oferecidas por um espaço mais vasto, também este iate carecia das condições julgadas ideais pelo rei. Que, por essa razão, decidiu trocá-lo, em 1899, pelo novo «Amélia», um navio até então denominado «Yacona».

Sem comentários:

Publicar um comentário