segunda-feira, 17 de agosto de 2009

«VICTORIA»


Este navio foi o único sobrevivente (entre cinco) da frota com a qual Fernão de Magalhães empreendeu -em 1519- a primeira viagem de circum-navegação da História. Era uma nau de 85 tonéis, construída, segundo a tradição, nos desaparecidos estaleiros de Zarauz, na Biscaia. O nome do navio provém da igreja de Santa Maria da Vitória, em Triana, onde o navegador português jurou servir lealmente o futuro imperador Carlos V, promotor do extraordinário périplo à volta do globo. O regresso a Sanlúcar de Barrameda da nau «Victoria» (um navio com 26 m de comprimento por 6,72 m de boca) verificou-se no dia 6 de Setembro de 1522, após quase 3 anos de navegação e 78 000 km percorridos. Com a «Victoria» regressaram a Espanha apenas 18 dos 234 homens que integraram a histórica e ousada expedição. É verdade que outros já, há muito tempo, haviam demandado o ponto de partida, na sequência de avarias nas suas naus ou da deserção dos seus capitães. Depois da morte de Magalhães, nas Filipinas, a nau «Victoria» foi colocada sob o comando de Juan Sebastián de Elcano, um sabido marinheiro biscainho. O primeiro navio a dar uma volta completa ao mundo perdeu-se -em data incerta- no oceano Atlântico, quando regressava de uma viagem a Santo Domingo.

Sem comentários:

Publicar um comentário