domingo, 30 de agosto de 2009

«SCORPENE»


Moderno submarino francês vocacionado para missões de natureza vária : luta contra navios de superfície e submersíveis, operações especiais, reconhecimento, guerra electrónica, lança-minas, etc. O seu conceptor e construtor é a firma D.C.N.S., que firmou contrato com a Navantia (de Espanha) para a execução de encomendas oriundas de certos países estrangeiros. O «Scorpene», que tem a reputação de ser extremamente silencioso, desloca 1 650 toneladas à superfície e 2 000 em imersão. Pode mergulhar a mais de 300 metros de profundidade e o seu raio de acção é da ordem das 6 500 milhas náuticas à velocidade de cruzeiro de 8 nós. A sua tripulação é de 31 homens, podendo, no entanto, ser reduzida se o navio receber -por opção do comanditário- um sistema automatizado de navegação. Os aparelhos de detecção, assim como o armamento do «Scorpene» (6 tubos lança-torpedos de 533 mm, guarnecidos com 18 projécteis) são dos mais performantes da actualidade. Além dos navios deste tipo destinados à armada francesa, a D.C.N.S. recebeu pedidos do Chile (2) e da Malásia (2). 10 outras unidades foram encomendadas pelas marinhas de guerra da Índia (6 construídas ou a construir, sob licença, nos estaleiros desse país da Ásia) e do Brasil (4). Também no que respeita os submersíveis deste último país haverá transferência de tecnologia, visto que os navios de classe 'Scorpene' brasileiros deverão ser, todos eles, realizados pelo arsenal do Rio de Janeiro. No quadro deste último contrato, a França aceitou ajudar a armada brasileira a desenvolver o seu próprio projecto de realização de um submarino nuclear de ataque.

Sem comentários:

Publicar um comentário