quarta-feira, 12 de agosto de 2009

«MAGALLANES»


Paquete espanhol da frota da Compañia Transatlántica. Foi lançado à água no dia 1º de Maio de 1926, amadrinhado pela rainha Victória Eugénia. Realizou a sua viagem inaugural em 2 de Outubro de 1928, na linha Barcelona-Havana-Nova Iorque, passando pouco depois a efectuar o trajecto Mediterrãneo-Venezuela-Colômbia, com escalas intermediárias nas Canárias, em Porto Rico, na Dominicana e em Curaçau. Em 1936, quando rebentou a guerra civil, o navio foi ao México buscar um carregamento de material de guerra (no qual figurava um lote de 17 000 espingardas novas) para o exército legalista, sendo escoltado -desde o cabo São Vicente até ao porto militar de Cartagena- pelo cruzador «Miguel de Cervantes» e por vários contratorpedeiros. Fez, depois, várias viagens aos portos soviéticos do mar Negro, de onde trouxe ajuda para o campo dos republicanos. Em 11 de Junho de 1937 iniciou em Cartagena um cruzeiro dos mais azarados, abalroando (durante uma noite de mar bastante agitado) um dos seus navios de escolta, o «Alcalá Galiano». No regresso dessa mesma viagem à U.R.S.S., no estreito dos Dardanelos, o «Magallanes» abordou acidentalmente um navio mercante italiano (o «Capo Pino») e ficou retido na Turquia, para se apurar as responsabilidades do acidente. O paquete da Transatlántica por ali se quedou até ao fim das hostilidades em Espanha, sendo depois entregue pelos turcos aos vencedores do conflito. Já em tempo de paz, o «Magallanes» voltou a operar na linha Mediterrâneo-América Latina até 1953. Nesse ano, o navio foi levado para Bilbau para ali receber trabalhos de beneficiação, que nunca chegaram a ser efectuados. Em 1957 o paquete foi vendido a um sucateiro, que o desmantelou (em Santurce) no ano seguinte.

Sem comentários:

Publicar um comentário