quarta-feira, 12 de agosto de 2009

«MIKASA»


Couraçado da marinha imperial japonesa, célebre por ter arvorado as insígnias do almirante Togo, aquando da guerra de 1904-1905 contra os russos. Foi construído em 1902 (pelos estaleiros Vickers, de Barrow-in-Furness, G.B.) no quadro do programa de expansão naval de 1896. Em Fevereiro de 1904, o «Mikasa» participou nos bombardeamentos de Porto Artur e, em Agosto desse mesmo ano, distinguiu-se na batalha naval do mar Amarelo, sofrendo danos causados pelo fogo inimigo. Aquando da terrível e decisiva batalha de Tsushima, este couraçado de 15 400 toneladas de deslocamento -armado com 4 canhões de 305 mm e 14 outros de 152 mm- encaixou 32 projécteis disparados por unidades russas. Mas o maior desaire sofrido pelo «Mikasa» ocorreu, curiosamente, em tempo de paz. Com efeito, a 12 de Setembro de 1905, quando o navio se encontrava fundeado no porto de Sasebo, produziu-se uma violenta explosão num dos seus paióis de munições, que o afundaram. 114 membros da sua guarnição morreram nesse desatre. Recuperado, o couraçado ainda esteve em serviço operacional até 1921, ano em que foi transformado em unidade de defesa costeira. Dois anos mais tarde foi desactivado e guardado como testemunha de um tempo em que o Japão se afirmava como a grande potência emergente da Ásia. Hoje, este raro exemplar da marinha de guerra de inícios do século XX (com 131 m de comprimento por 23,20 m de boca), funciona como navio-museu na cidade portuária de Yokosuka.

Sem comentários:

Publicar um comentário