quarta-feira, 5 de agosto de 2009

GRAF ZEPPELIN»


Porta-aviões da marinha militar hitleriana. Começou a ser construído nos estaleiros da firma Deutsche Werke, de Kiel, em 1935, mas (talvez pelo facto do projecto nunca ter verdadeiramente entusiasmado o 'führer') nunca chegou a ser acabado; nem chegou, obviamente, a participar em qualquer acção bélica da Segunda Guerra Mundial. O navio deveria deslocar mais de 33 000 toneladas e medir 262,50 m de comprimento por 31,50 m de boca, além de poder navegar à velocidade máxima de 33 nós. Previa-se que a sua guarnição ultrapassasse os 1 700 marinheiros e 300 homens da força aérea. Previu-se que o equipamento aeronáutico do «Graf Zeppelin» compreendesse 50 aparelhos dos seguintes tipos e valências : caças Messerschmitt Bf 109, bombardeiros (de voo picado) Junkers Ju 87 'Stuka' e aviões-torpedeiros Fieseler Fi 167. O casco do «Graf Zeppelin» foi lançado à água em 1938 e a construção de um outro navio do mesmo tipo (provisoriamente baptizado 'flugzeugträger B') ainda chegou a ser iniciada. Isto no seguimento de um plano delineado pelo almirante Raeder, que previa a realização de 4 navios deste tipo para a marinha de guerra do 3º 'Reich'. Mas, em 1943, Hitler decidiu por fim ao programa dos porta-aviões e mandou retirar toda a artilharia já montada no «Graf»; para a transferir para a Noruega, onde serviu na defesa costeira desse país ocupado pela Alemanha. A 25 de Abril de 1945, poucos dias antes do fim da guerra, os alemães afundaram voluntariamente o inacabado porta-aviões nas águas do porto de Stettin (hoje Szczecin, na Polónia), por temerem que os soviéticos, que se aproximavam, o capturassem. Estes conseguiram, no entanto, recuperá-lo; mas, a 16 de Agosto de 1947, quando o rebocavam para Leninegrado (hoje São Petersburgo) decidiram, por obscuras razões, utilizar o «Graf Zeppelin» como alvo das suas unidades navais e dos seus aviões de combate. A carcaça do porta-aviões alemão foi descoberta em meados de 2006 por um navio de pesquizas da companhia polaca Petrobaltic. Repousa no fundo do mar Báltico a uma profundidade de 80 metros.

Sem comentários:

Publicar um comentário