sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

«VINH-LONG»


Inaugurado em 1883, este transporte de tropas coloniais foi construído em Bordéus pela sociedade Chaigneau & Bichon. Devido às doenças de natureza parasitária e bacteriológica contraídas pelos soldados europeus em territórios tão longínquos como a África negra e a Indochina, o «Vinh-Long» foi dotado, desde início, com instalações sanitárias especializadas no seu tratamento. Esta unidade mista (vapor/vela) da armada francesa deslocava 5 450 toneladas e media 107 metros de comprimento por 15 metros de boca. A sua guarnição era constituída por 260 homens, 12 dos quais eram oficiais. O navio, que estava preparado para receber 260 doentes e/ou feridos, dispunha ainda de um corpo sanitário composto por 3 médicos, 1 farmacêutico e 6 enfermeiros. O «Vinh-Long» teve uma carreira particularmente activa. Em 1895 foi utilizado nas operações de Madagáscar. Assegurou transportes sanitários entre a China e a Europa, durante a guerra dos Boxers. Em finais da primeira década do século XX, o navio operou em águas do norte de África, dando apoio hospitalar às tropas francesas e assegurando-lhes fornecimento de água potável e transporte. Mais tarde, durante a 1ª Guerrra Mundial, o «Vinh-Long» (já remodelado, com maior capacidade e dispondo de bloco operatório e de sala de radiologia) conduziu tropas para o teatro de operações dos Dardanelos e funcionou como navio-hospital. Foi nessas condições que, em pouco mais de um ano, o já antiquado transporte realizou 19 viagens sanitárias entre Salónica e os portos de Bizerta (no protectorado francês da Tunísia) e Toulon. Este navio sobreviveu ao conflito, mas, em 16 de Dezembro de 1922, quando navegava nas águas do mar de Mármara com cerca de 500 tripulantes e passageiros a bordo, o «Vinh-Long» incendiou-se. Graças à intervenção do navio de guerra norte-americano «Bainbridge» (sob o comando do capitão Edwards), que o seguia de perto e o abordou, foi possível salvar a maioria dos passageiros do velho transporte francês. Feito o balanço definitivo do sinistro, contaram-se, apenas, 13 vítimas. Curiosidade : o nome dado a este navio era o de uma vasta região da Indochina (então colónia francesa), situada no delta do Mekong.

Sem comentários:

Publicar um comentário