quinta-feira, 16 de agosto de 2012

«ARAGUAYA»



Paquete da Mala Real Inglesa (Royal Mail Steam Packet) construído em 1906 no estaleiro naval da firma Workman Clark, de Belfast, para a sua linha com a costa leste da América do sul. A sua viagem inaugural iniciou-se em Outubro desse mesmo ano entre Southampton e Buenos Aires, com escalas nos portos de Cherburgo, Vigo, Lisboa, Pernambuco, Baía, Rio de Janeiro, Santos e Montevideu. Permaneceu 11 anos sem interrupção nessa linha, à excepção de uma vez, em 1912, quando foi alugado pelo Thames Yacht Club para conduzir a Kiel (na Alemanha) uma numerosa e distinta delegação de personalidades que ia competir e/ou assistir à famosa Regata Real. O «Araguaya» abandonou a chamada ‘Rota de Ouro e Prata’ em 1917, em plena Grande Guerra, pelo facto de ter sido mobilizado e transformado em navio-hospital; tendo, nessa sua inédita função, cumprido 19 missões humanitárias. Foi devolvido ao seu armador em Outubro de 1920, que o afectou à sua linha de origem, onde permaneceu até 1926, ano em que a Mala Real Inglesa o substituiu por um navio maior e mais moderno. Depois de uma passagem pelo estaleiro Workman Clark (onde foi completamente remodelado e viu a sua capacidade de transporte de passageiros passar de 1 004 para apenas 365), o «Araguaya» virou-se para a indústria dos cruzeiros; actividade que pouco tempo durou, devido à gravidade da crise financeira de Wall Street, que desviou grande parte da clientela habitual das viagens de lazer. Em Novembro de 1930, o navio foi vendido ao Jugoslavenska Lloyd, que o baptizou com o nome de «Kraljika Marija» e o reconverteu em navio de linha, com acomodações para um maior número de passageiros. Durante 10 anos –na realidade até ao começo do segundo conflito generalizado- o navio esteve na carreira Mediterrâneo-costa leste dos E.U.A., para onde transportou muitos viajantes sem regresso, visto a maioria deles serem emigrantes. Em inícios da década de 40, o ex-«Araguaya» foi adquirido pelo governo francês; que o remeteu à C.G.T. – Compagnie Générale Transatlantique, em cujo seio ele substituiu o «Bretagne», que havia sido afundado por um submarino alemão em Outubro de 1939. O navio recebeu, então o seu derradeiro nome : «Savoie». Depois do armistício franco-germânico (ocorrido em Junho de 1940), o navio manteve-se activo, navegando entre os portos franceses de Marselha e do norte de África. O seu fim teve lugar num cais de Casablanca, a 7 de Novembro de 1942. As forças de intervenção norte-americanas implicadas na Operação Torch bombardearam esse porto marroquino, onde afundaram vários navios. Entre as embarcações atingidas figurava o paquete em apreço, que recebeu uma salva do couraçado USS «Massachusetts» (destinada ao seu congénere «Jean Bart») e se incendiou. A carcaça calcinada do antigo «Araguaya» foi desmantelada ‘in situ’. Principais características deste navio : 10 537 toneladas de arqueação bruta; 157 metros de comprimento; 19 metros de boca; 2 máquinas a vapor de quádrupla expansão, desenvolvendo 8 500 hp; 16 nós de velocidade e cruzeiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário