quarta-feira, 4 de agosto de 2010

«ADAMASTOR»


Cruzador da Armada Portuguesa construído em 1897 no estaleiro Fratelli Orlando, de Livorno (Itália). Deslocava 1 757 toneladas e media 73,80 metros de comprimento por 10,70 metros de boca. A sua propulsão era assegurada por um conjunto de 2 máquinas a vapor e 4 caldeiras (alimentadas a carvão), que desenvolvia 4 000 cv e permitia que o navio se deslocasse a 18 nós de velocidade máxima. O armamento principal do navio era constituído por 2 peças de 150 mm (com um alcance de 14 km), 4 de 105 mm e 8 de 47 mm, além de 3 tubos lança-torpedos. O «Adamastor» tinha uma autonomia de 5 400 milhas náuticas (com velocidade estabilizada a 10 nós) e dispunha de uma guarnição de 206 homens, oficiais incluídos. Este navio foi adquirido graças á subscrição nacional de 1890, que surgiu na sequência do famigerado ultimato inglês. Esteve comissionado em mares de quatro continentes, mas as acções mais espectaculares do «Adamastor» foram a sua implicação na acção anti-monárquica de 1910 (foi este navio que disparou as salvas de intimidação contra o palácio das Necessidades, dando assim o aviso aos revoltosos republicanos) e a sua participação, durante a Grande Guerra, na campanha do Rovuma (norte de Moçambique), contra as tropas alemãs de von Bullow. Foi desactivado em 1934, após 37 anos de serviço, e vendido a uma firma de ferro velho, que o desmantelou.

Sem comentários:

Publicar um comentário