quinta-feira, 10 de maio de 2012

«DAVID MELGUEIRO»

Arrastão português construído nos Países-Baixos (nos estaleiros da empresa T. van Duijvedijk Scheepwerf, de Lekkerkerk), pertencente à frota da SNAB-Sociedade Nacional dos Armadores de Bacalhau. Em 1950, quando se procedeu ao seu lançamento à água, foi considerado o maior arrastão do mundo. Registado no porto de Lisboa, tinha as seguintes característica : 1 693 toneladas de arqueação bruta;  80,15 metros de comprimento fora a fora; 11,85 metros de boca; estava equipado com uma máquina de 1 600 bhp; navegava a 11,3 nós de velocidade máxima; tinha capacidade para carregar 1 800 toneladas (ou seja 30 000 quintais) de bacalhau verde salgado; a sua equipagem era constituída por 73 homens incluindo pescadores. Em 1976, o «David Melgueiro» foi parcialmente transformado em navio congelador e, três anos mais tarde, essa conversão foi totalmente efectivada. O seu primeiro comandante foi o então jovem capitão Emílio Carlos de Sousa. Em fim de carreira, o «David Melgueiro» foi vendido (a 16 de Fevereiro de 1992) à empresa espanhola Viguesa de Chatarra, que o desmantelou. Curiosidade : o nome deste navio de trabalho foi-lhe dado em homenagem a um pouco conhecido navegador português do século XVII, que, ao serviço dos holandeses, terá realizado uma viagem entre os Países-Baixos e o Japão pela rota árctica.

1 comentário:

  1. A partir do qual Bernardo Santareno escreveu "Nos Mares do Fim do Mundo"

    ResponderEliminar