domingo, 13 de maio de 2012

«CIDADE DO PORTO»



Este enorme veleiro com casco de aço foi construído na Escócia pelos estaleiros W. Hamilton & Cº, de Glásgua, que o lançaram ao mar no mês de Março de 1904. Hasteou bandeiras de várias nacionalidades e usou, sucessivamente, os nomes de «Hans», «Mary Dollar» e «Tango», antes de ser adquirido em 1944 por um armador português e de se chamar «Cidade do Porto» até ao fim da sua vida activa. Segundo a pouca informação disponível, este navio (que começou por ter 4 mastros e acabou por arvorar 6 paus) utilizou várias configurações vélicas. Foi, ao que parece, barca, escuna e lugre. O seu último armador, a Comissão Reguladora do Comércio de Algodão em Rama, registou-o, em meados da década de 40, na capitania do porto moçambicano de Lourenço Marques. Depois de ter estado na carreira do Chile e no negócio do guano (o famoso nitrato do Chile), por conta do seu primeiro armador -a firma G.J.H. Siemens & Cº, de Hamburgo- este veleiro dedicou-se ao transporte de carga diversa. No tempo em que velejava com bandeira portuguesa tinha uma tripulação de 24 homens. E apresentava-se como um navio de 3 102 toneladas de arqueação bruta e com 109 metros de comprimento fora a fora por 14,35 metros de boca. Relíquia de tempos passados, inexoravelmente ultrapassado pela concorrência da navegação a vapor, o «Cidade do Porto» foi vendido para demolição em 1948.

Sem comentários:

Enviar um comentário