quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

«PRINS WILHEMS»


Construído em 1649 em Middelburg (Países-Baixos) sob a responsabilidade do famoso mestre carpinteiro Cornelis Spendernieuw, o «Prins Wilhems» é apontado como tendo sido o maior navio da Companhia Holandesa das Índias Orientais do seu tempo. Deslocava 700 toneladas, media 42 metros de comprimento, arvorava três mastros e estava armado com 32 bocas de fogo. Fez a sua viagem inaugural a Batávia, na Insulíndia, com partida dos Países-Baixos a 5 de Maio de 1651, levando a bordo, para além da respectiva guarnição de 93 homens, uma importante leva de colonos, entre os quais figuravam muitas mulheres e crianças. De regresso à Europa, o navio foi emprestado aos Estados Gerais que se encontravam em guerra com a Inglaterra. Durante esse conflito -enquadrado na chamada Guerra dos Sete Anos- o «Prins Wilhems» foi utilizado como capitânia pelo almirante de Witte de Witt, aquando da batalha de Bata Kentish, saindo desse recontro bastante danificado. Restaurado e devolvido ao comércio com as Índias, o «Prins Wilhems» ainda fez para ali, até 1661, várias viagens de soberania e de negócios. Em Dezembro desse ano, o navio integrou a esquadra superiormente comandada por Arnold de Vlaming van Dudshorn, que regressava aos Países-Baixos carregada de preciosas mercadorias do Oriente. A dita esquadra nunca chegou ao destino, tendo-se perdido, ao que se supõe, durante uma violenta tempestade. Uma réplica deste navio histórico foi construída -à escala 1/1- na Holanda. Destinada a um parque temático da cidade japonesa de Nagasaqui, também ela teve um fim inglório : foi devorada por um devastador incêndio no dia 30 de Julho de 2009.

Sem comentários:

Enviar um comentário