sexta-feira, 30 de julho de 2010

«SANTA EULALIA»


O veleiro hoje denominado «Santa Eulalia» (casco de madeira, 3 mastros) pertence ao Museu Marítimo de Barcelona. É um tipo de embarcação rápida e requerendo pouca gente para a manobrar, que apareceu no Mediterrâneo no decorrer do século XIX; mar onde era utilizada no transporte de carga diversa. Este veleiro foi construído, em 1919, no estaleiro Marí de Torrevieja (Alicante) para um comerciante local, que lhe deu o seu primeiro nome : «Carmem Flores», em homenagem à sua filha. E o utilizou no transporte de mercadorias de diversa natureza, especialmente cereais, sal, minério, madeiras. Em 1921, fez uma viagem transoceânica, que o levou a Santiago de Cuba e durante a qual o veleiro demonstrou as suas excelentes qualidades náuticas. Dez anos mais tarde foi vendido a um armador da ilha de Maiorca, que lhe mudou o nome para «Puerto de Palma», o motorizou e lhe alterou o mastreame. Em 1936, mudou de novo de proprietário e de nome, passando a charmar-se «Cala San Vincens». Em 1975 -já com o nome de «Sayremar One»- foi comprado por uma empresa que se dedicava a salvamentos e outros trabalhos subaquáticos. Finalmente, em 1997, o veleiro foi adquirido pelo Museu Marítimo de Barcelona, que o mandou restaurar, devolvendo-lhe o seu estado e formas originais. Iniciou as suas funções actuais em Abril de 2001, já com o seu derradeiro nome de «Santa Eulalia», que lhe foi dado em honra de uma patrona da grande cidade catalã. A tonelagem bruta do «Santa Eulalia» é de 167 t. O casco mede 34 metros de comprimento e a boca 8,50 metros. A sua superfície vélica (onze panos) é de 516 m2. A sua tripulação normal é constituída por 6 elementos e a lotação máxima autorizada é de 30 pessoas. O único vestígio visível (e audível) de modernidade do «Santa Eulália é o seu motor auxiliar : um Volvo 'Penta', de 367 cv.

Sem comentários:

Publicar um comentário