sexta-feira, 16 de julho de 2010

«PRIMEIRO NAVEGANTE»


Lugre-motor de quatro mastros e casco de madeira. Foi lançado à água no ano de 1940, depois de ter sido construído pelos estaleiros da família Mónica, na Gafanha da Nazaré. As suas principais características eram as seguintes : 44,17 m de comprimento; 10,13 m de boca; 5,12 m de pontal; 482 t de tonelagem bruta. Dispunha de um motor auxiliar com 425 cv de potência. O «Primeiro Navegante» era tripulado por 56 homens e estava equipado com 53 dóris para a pesca à linha. Tinha capacidade para embarcar 12 000 quintais de bacalhau salgado. Fez seis viagens aos Grandes Bancos da Terra Nova e da Groenlândia, cinco das quais durante a 2ª Guerra Mundial, quando às dificuldades naturais das campanhas de pesca no Atlântico norte se juntavam os perigos decorrentes dos combates entre os submarinos alemães e os navios de superfície dos Aliados. Durante a sua derradeira viagem, o «Primeiro Navegante» -que era propriedade da Empresa Ribaus & Vilarinhos- fez escala em Leixões, para aí descarregar parte da carga : 3 000 quintais de bacalhau. Isto devido às limitações de Aveiro, seu porto de destino. No dia 24 de Outubro de 1946, quando o lugre se preparava para transpor a barra, foi açoutado por vagalhões e fortíssimas rajadas de vento que -apesar do saber do seu capitão e co-proprietário (José Maria Vilarinho) e dos esforços conjugados de dois rebocadores (o «Vouga» e o «Marialva»)- o atiraram para a praia da Meia-Laranja, onde encalhau. O essencial da carga e algum equipamento foram salvos por gente que prontamente acudiu ao lugar do desastre. O navio (cujo número de amura era o N-560-N) foi, quanto a ele, completamente desmantelado pela fúria dos elementos.

Sem comentários:

Publicar um comentário