sábado, 10 de maio de 2014

«TORMILIND»

Veleiro construído no estaleiro naval de A. & P. Sepp, de Saaremaa, na baía de Hara (Estónia), em 1922, para um consórcio de armadores locais : R. Pahlberg, G. Kristenbrunn e A. Hank de Kaspervik. Com 495,46 toneladas de arqueação bruta e com 45,71 metros de comprimento por 10,30 metros de boca, este veleiro (concebido para o transporte de carga geral) é considerado o mais belo navio realizado no país. Foi também o primeiro navio estoniano a navegar para lá da linha do equador, quando, a partir de 1926, começou a demandar portos africanos e da América do sul.. Com casco em madeira e 4 mastros, é referido como uma 'barquentine', tipo de navio equivalente ao nosso lugre-patacho. Quer dizer que desfralda velas redondas no pau de vante e pano áurico-latino nos restantes. Mudou de armador várias vezes, nomeadamente em 1927 (quando foi registado no porto de Käsmu) e em 1930. No ano de 1937, registaram-se avarias graves neste navio (em consequência de um incidente, cuja natureza não conseguimos apurar), que provocaram a morte de três dos seus tripulantes e o mandaram para o estaleiro. De onde regressou já equipado com um motor diesel de 300 h.p.. Durante o período da Segunda Guerra Mundial e da integração da Estónia na U.R.S.S., o «Tormilind» (cujo nome significa 'Alcatraz' na nossa língua), teve vida atribulada, servindo, aos soviéticos, como transporte de tropas e de material militar. Depois passou para mãos alemãs e foi utilizado como guarda-costas no mar Báltico. Enquanto durou o conflito, este belo veleiro passou de mão em mão, ao sabor dos caprichos do ocupante germânico. Até que -a 19 de Outubro de 1944- foi afundado por uma mina e se afundou ao largo de Aalborg. A sua tripulação (11 homens) saíu ilesa do desastre.

Sem comentários:

Publicar um comentário