quarta-feira, 14 de maio de 2014

«DOMINION MONARCH»


Este paquete de bandeira britânica foi um dos mais poderosos e de maior luxo, do seu tempo, a assegurar a linha Europa-Australásia pela via do cabo da Boa Esperança. Construído -por encomenda da companhia Shaw Savill Line- nos estaleiros Swan Hunter & Wigham Richardson, de Wallsend-on-Tyne, este navio foi dado como concluído no mês de Janeiro de 1939. Com uma arqueação bruta de 27 155 toneladas, o «Dominion Monarch» media 207,80 metros de comprimento por 25,90 metros de boca. A sua propulsão era garantica por um conjunto de máquinas diesel, acoplado a 4 hélices, que lhe permitia navegar à velocidade de cruzeiro de 21,5 nós. Com uma tripulação de 385 membros, este navio podia embarcar 525 passageiros (todos em 1ª classe), distribuídos por 6 cobertas. Para além desses viajantes, o navio podia carregar perto de 3 600 toneladas de carga geral e 12 800 toneladas de carga frigorífica (sobretudo carne congelada e produtos lácteos). Devido ao seu grande porte e ao reduzido número de passageiros transportados, este paquete oferecia um conforto inigualável e grangeou uma fama de que jamais outro navio, antes dele, havia beneficiado. A sua viagem inaugural, entre Londres e Sydney, fez escalas em Southhampton, no arquipélago das Canárias (Santa Cruz de Tenerife), em Capetown, em Durban, em Fremantle e em Melbourne. Viagem que o «Dominion Monarch» realizou em tempo recorde. Mas, pouco tempo depois, com a eclosão da 2ª Guerra Mundial, o navio foi (como tantos outros) requisitado pelas forças armadas do Reino Unido, que o transformaram em transporte de tropas. Durante a sua forçada carreira militar, o «Dominion Monarch» transportou 29 000 combatentes, essencialmente norte-americanos e britânicos. O navio haveria de sobreviver ao conflito e voltou à vida civil -ostentando as cores do seu legítimo proprietário- em 1948, depois de ter sofrido grandes trabalhos de remodelação. Manteve-se na linha da Austrália e da Nova Zelândia (onde prestou relevantes serviços, satisfazendo uma clientela exigente) até 1962. Vítima da concorrência imparável da aviação comercial -que encurtou substancialmente as distâncias- este paquete ainda serviu como navio-hotel aquando da Feira Mundial de Seattle. Vendido a uma companhia de demolições japonesa, usou -durante uma derradeira viagem realizada entre os Estados Unidos e Osaca- o nome de «Dominion Monarch Maru». Foi desmantelado pouco tempo depois.

Sem comentários:

Publicar um comentário