terça-feira, 20 de maio de 2014

«SCIPIONE AFRICANO»

Cruzador ligeiro da marinha mussoliniana, pertencemte à classe 'Capitani Romani'. Que deveria comportar 12 unidades, mas da qual só foram terminados 3 navios : o cruzador em apreço, o «Atillio Regolo» e o «Pompeo Magno». Construído nos estaleiros da casa Odero Terni Orlandi, de Livorno, o «Scipione Africano» entrou em serviço operacional a 23 de Abril de 1943, a partir da base naval de La Spezia, seu porto de abrigo. Deslocava 5 334 toneladas (plena carga) e media 142,90 metros de comprimento por 14,40 metros de boca por 4,90 metros de calado. O seu aparelho propulsivo (2 turbinas, 4 caldeiras, 2 hélices) desenvolvia uma potência de 110 000 cv, que o projectava à velocidade máxima de 40 nós. O seu armamento principal era composto por 8 canhões de 138 mm (distribuídos por 4 reparos), por 8 peças AA de 37 mm, por 8 peças AA de 20 mm e por 8 tubos lança-torpedos de 533 mm. Estava equipado com 1 radar de origem nacional. O «Scipione Africano», que tinha uma guarnição de 420 homens, esteve implicado nas operações lançadas pela 'Regia Marina' contra as forças aliadas de desembarque na Sicília (Julho de 1943); operações que visavam bloquear o estreito de Messina. Na noite de 17 para 18 desse mês e ano, este cruzador afundou duas vedetas torpedeiras britânicas. Esteve também em operações de lançamento de minas defensivas ao largo das costas da Calábria e no golfo de Taranto. Com a reviravolta operada na política italiana que depôs o 'Duce', o navio foi requisitado para transportar o rei Vítor Emanuel III e o marechal Pietro Badoglio até à ilha de Malta, para que estes assinassem o armistício entre a Itália e os Aliados. Retirado que lhe foi o seu papel de unidade combatente, o «Scipione Africano» passou a ser usado como transporte rápido e como navio de treinos. Em Agosto de 1948, este cruzador ligeiro viu arriada a bandeira italiana para ser entregue à armada francesa, em virtude de uma cláusula do tratado de paz. Serviu na marinha de guerra gaulesa -com o nome de «Guichen»- até Abril de 1961. E em meados do ano de 1976 foi desmantelado.

Sem comentários:

Publicar um comentário