terça-feira, 20 de maio de 2014

«LADY WASHINGTON»

Veleiro do século XVIII, de bandeira norte-americana. Era um modesto navio de 2 mastros, que deslocava pouco mais de uma centena de toneladas e do qual se ignoram as reais dimensões. Parece ter sido construído num estaleiro da região de Massachusetts, provavelmente de Boston; de onde zarpou -a 1 de Outubro de 1787- para a costa Oeste dos Estados Unidos, via cabo Horn. Chegado às costas do actual estado de Washington, que ao tempo ainda eram disputadas por americanos e britânicos do Canadá, este navio e a sua tripulação envolveram-se no rendoso negócio das peles. Mas igualmente no tráfico de chá e de porcelanas da China. Também foi navio assíduo das costas e portos do Oregon e parece ter sido a primeira embarcação não-indígena a fazer a circum-navegação da grande ilha de Vancouver. Este navio visitou várias cidade costeiras do Oriente, incluindo o porto português de Macau; onde terá sofrido modificações que o transformaram num bergantim. Parece ter sido também o primeiro navio de bandeira norte-americana a visitar o Japão. País fechado, onde as peles que transportava não encontraram compradores. É muito provável que o «Lady Washington» (cujo nome era uma homenagem à esposa do primeiro presidente dos E.U.A.) tenha naufragado nos mares das Filipinas em 1797, já que, nesse ano, o veleiro foi avistado -encalhado- na foz do rio Mestizo, não muito longe da localidade de Vigan. Muitas réplicas deste navio têm sido feitas nos Estados Unidos. A mais recente e famosa de todas elas foi lançada ao mar (em Aberdeen, no estado de Washington) a tempo de participar nos festejos comemorativos do centenário da integração desse território na União. Ao que parece, não é uma cópia fiel do veleiro original. O que não a tem impedido de ser muito solicitada pelos estúdios de cinema, que a têm utilizado nas suas produções. Inclusivamente numa das películas da série 'O Pirata das Caraíbas' («A Maldição do Pérola Negra»). Curiosidade : a representação do navio em apreço, aqui anexada, é obra do grande artista James Williamson.

Sem comentários:

Publicar um comentário