quinta-feira, 22 de maio de 2014

«LYUBOV ORLOVA»

Este pequeno paquete -construído na antiga Jugoslávia para a frota comercial soviética do Extremo Oriente- deixou o seu nome associado a um dos grandes mistérios da História marítima moderna.Isso, ao desaparecer no Atlântico norte  (sem deixar rasto) no início do ano de 2013. Realizado pelos estaleiros navais Titovo Brodogadimoste, de Kraljevica, o navio em apreço foi lançado ao mar em 1975 e iniciou a sua viagem inaugural a 19 de Julho do ano seguinte, sob as cores de uma armadora estatizada conhecida no Ocidente pelo nome de Far East Shipping Cº., sedeada em Vladivostok, na Sibéria. No seio da qual o «Lyubov Orlova» se manteve até 1992. Este navio, que tinha acomodações para 110 passageiros e uma tripulação constituída por uma centena de elementos, possuía uma proa em aço especial, que lhe permitia navegar com relativa segurança nos mares gelados de regiões como a Antárctida, onde foi várias vezes, em missões que misturavam a actividade científica ao turismo. Com uma arqueação bruta de 4 251 toneladas, este navio media uma centena de metros de comprimento por 16,20 metros de boca. O seu calado atingia os 4,60 metros. Em 1992, o «Lyubov Orlova» passou a ostentar as insígnias da Marine Expeditions, marca que conservou durante sete anos. Em 1999, foi registado em Avatiu e, desde então, passou a usar pavilhão das ilhas Cook, mas conservou o seu nome de origem e continuou a manter a sua especificidade de navio destinado ao chamado turismo de aventura. Para além das expidições aos mares autrais, também esteve nos mares setentrionais do Canadá, inclusivamente no Árctico. Em Setembro de 1910, o navio foi apresado em St. John's (na Terra Nova) por alegadas dívidas ao fisco do seu armador. Ali esteve até 2012, ano em que terá sido vendido ao sucateiro que deveria assegurar o seu desmantelamento. Mas durante as operações de reboque para o estaleiro, o «Lyobov Orlova» foi abandonado pela tripulação (em circunstâncias nunca esclarecidas) e deixado à deriva no Atlântico norte. Onde se chegou a recear que o navio desgovernado representasse um perigo para as plataformas de petróleo. O ex-paquete russo foi avistado, pela última vez, a 23 de Fevereiro, a cerca de 1 300 milhas náuticas das costas ocidentais da Irlanda. Depois disso, nunca mais houve notícias, presumindo-se que se tenha afundado. Curiosidade : ao «Lyubov Orlova» foi dado o nome de uma estrela do cinema soviético, que era a actriz preferida de milhões de russos, inclusivé do ditador Estáline.

Sem comentários:

Publicar um comentário