quarta-feira, 7 de maio de 2014

«DE ZEVEN PROVINCIËN»

Navio de linha neerlandês do século XVII, inicialmente armado com 80 canhões de vários calibres. O seu nome alude à confederação das sete províncias autónomas, que estiveram na génese dos actuais Países-Baixos enquanto nação soberana. O «De Zeven Provinciën» (literalmente 'As Sete Províncias') foi construído em Roterdão, em 1665, sob a orientação de mestre Salomon Jansz van den Temple, um reputado profissional da época. Tinha 3 mastros e media 46 metros de comprimento por 12,34 metros de boca. O seu calado atingia os 4,60 metros. Escolhido pelo famoso almirante Michiel De Ruyter para servir de plataforma de comando das esquadras neerlandesas, este poderoso veleiro participou em várias e memoráveis batalhas contra as esquadras britânicas, durantes as guerras anglo-batavas da segunda metade do século XVII. Esteve e combateu nos confrontos navais de St. James Day, no Bloqueio do Tamisa, em Solesbay, na primeira e segunda batalhas de Schooneveld, em Texel e, mais tarde, já no fim da centúria, nos combates de Barfleur e de La Hague. Antes destas duas últimas batalhas, o «De Zeven Provinciën» sofrera transformações, que reduziram o seu número de peças de artilharia para 76. Seriamente danificado (em 1694) pelo fogo inimigo, durante a chamada Guerra da Grande Aliança, este navio pôde regressar à sua base são e salvo; mas, perante a importância dos estragos sofridos, a marinha militar neerlandesa optou pelo seu desmantelamento. Já por duas vezes, nos Países-Baixos e nestes últimos vinte anos, se tentou construir uma réplica (à escala 1/1) deste navio. Por motivos vários, a dita ainda não foi concluída. Curiosidade : muitos navios de guerra de bandeira neerlandesa receberam este nome; nomeadamente uma moderna fragata (com características furtivas), a F802, colocada em serviço no ano de 2002.

Sem comentários:

Publicar um comentário