quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

«ITAHITÉ»


Gémeo do «Itaimbé» e do malogrado «Itapagé» (afundado por um submersível alemão em 1943), este navio foi, como eles, construído em França, no estaleiro naval Chantiers de Normandie de Grand Quevilly. Lançado às águas do rio Sena em 30 de Janeiro de 1925 e recebido pelo seu armador em Março do ano seguinte, este navio foi uma das unidades de transporte misto (passageiros/carga), que a Companhia Nacional de Navegação Costeira (sedeada no Rio de Janeiro) utilizou numa linha que percorria todo o litoral brasileiro, desde Porto Alegre até Belém do Pará, com desdobramento neste porto nordestino para Manaus, nos confins da Amazónia. Popularizados com o nome genérico de ‘itas’ (raiz tupi-guarani do nome de todos eles), estes navios foram imortalizados numa canção de Dorival Caymmi e em vários livros de Jorge Amado («Velhos Marinheiros», «Capitão de Longo Curso», etc ). O «Itahité» era um navio com 7 885 toneladas de deslocamento, que media 118,30 metros de comprimento por 15,88 metros de boca e 7,41 metros de pontal. A sua máquina com 625 Nhp de potência (construída em Saint Nazaire) proporcionava-lhe uma velocidade máxima de 14 nós. O «Itahité» funcionava com uma tripulação de 70 membros e podia receber cerca de 300 passageiros, distribuídos por três classes. Depois de ter cumprido 38 anos de bons serviços, o «Itahité» foi desactivado em 1965, no ano em que a sua companhia foi reestruturada e passou a designar-se Lloyd Brasileiro. A carcaça do «Itahité» passou algum tempo no cemitério de navios da baía de Guanabara, até que chegou a sua vez de ser desmantelado. Curiosidade : a Companhia Nacional de Navegação Costeira (proprietária do navio em apreço) foi fundada em 1882 -com o nome comercial de Lage & Irmão- por uma família de origem portuguesa. Que, para além do ramo do transporte marítimo, também se notabilizou na construção naval.

1 comentário:

  1. Meu pai foi seu Chefe de Máquinas, e me levou para o nordeste e sul do pais em viagem de passeio. Tenho boas recordações desse vapor.

    ResponderEliminar