quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

«CENTAUR»


Navio misto (passageiros/carga) construído em 1924 pelos estaleiros da companhia Scotts Shipbuiding & Engeneering, de Greenock (G.B.), para a casa armadora Blue Funnel Line. Medindo 96 metros de comprimento por 14,70 metros de boca e com uma arqueação bruta de 3 222 toneladas, o «Centaur» foi colocado na linha Europa-Austrália, com escalas importantes em Singapura e na Indonésia. Podia receber 72 passageiros (50 deles em 1ª classe) e os seus porões estavam equipados para o transporte de animais vivos, sendo a sua capacidade, nesse campo específico, de 450 bovinos. A sua máquina diesel com 1 400 cv de potência permitia-lhe navegar à velocidade máxima de 12,5 nós. Quando rebentou a 2ª Guerra Mundial, o navio encontrava-se no Índico, região sensível, e foi requisitado pelas forças armadas australianas, que o transformaram primeiramente em cruzador auxiliar e, depois, em navio-hospital, desarmado obviamente. Foi nessa qualidade, que o «Centaur» participou nas operações de resgate dos sobreviventes alemães do famoso combate travado entre o HMAS «Sydney» e o corsário «Kormoran» e que, mais tarde, assegurou transporte sanitário entre a Nova Guiné e a Austrália. Na madrugada de 14 de Maio de 1943, o «Centaur» -perfeitamente identificado e protegido pelas cores e símbolos internacionalmente reconhecidos pelos beligerantes- foi afundado pelos torpedos de um submarino japonês a operar ao largo da ilha de North Stradbroke (Queensland). No desastre -apontado pelo governo australiado e pelos seus aliados como um nefando crime de guerra- pereceram 332 pessoas. Houve, apenas, 64 sobreviventes, que permaneceram nas baleeiras do «Centaur» cerca de 36 horas, até aparecerem os primeiros socorros. Só em 1970 foi revelada a identidade do agressor : o «I-177», cujo capitão também se ‘ilustrou’ ao afundar o «Chivalry» (um mercante britânico) e ao mandar fuzilar a sua indefesa tripulação. Os destroços do malogrado navio sanitário australiano foram descobertos em finais de 2009 por David Mearns e pela sua equipa de exploração submarina. Repousam a uma profundidade de 1 850 metros.

Sem comentários:

Publicar um comentário