quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

«KRONPRINZ WILHELM»


Transatlântico alemão de quatro chaminés, construído em 1901 (nos estaleiros AG Vulcan, de Stettin) para o armador Norddeutscher Lloyd. Teve três gémeos, o «Kaiser Wilhelm der Grosse», o «Kaiser Wilhelm II» e o «Kronprinzessin Cecilie». Deslocava perto de 15 000 toneladas e media 202,17 m de comprimento por 20,20 m de boca. A sua propulsão era assegurada por máquinas de quádrupla expansão (desenvolvendo uma potência global de 33 000 cv) e por dois hélices, que lhe imprimiam uma velocidade máxima de 23 nós. Teve, na sua versão civil, uma equipagem de 526 membros e podia receber 1 760 passageiros. O «Kronprinz Wilhelm» esteve na linha Bremerhaven-Nova Iorque (via Southampton e Cherburgo), até 1914, onde ganhou a ‘flâmula azul’e transportou muitas celebridades do tempo. Nesse ano em que rebentou o primeiro conflito generalizado, o paquete foi requisitado pela marinha imperial e armado (com peças de artilharia de 88 mm), passando, assim, do estatuto de navio mercante de transporte de passageiros à condição de cruzador auxiliar. Dedicou-se à guerra de corso no mar dos Açores e em águas da América latina (ao largo das costas do Brasil e da Argentina), lugares onde capturou uma quinzena de navios das nações inimigas da Alemanha. Quase todos esses navios tomados pelo cruzador auxiliar tudesco foram afundados, depois de terem sido despojados de mantimentos e do carvão indispensável à sua acção. O ímpeto do «Kronprinz Wilhelm» foi travado em Abril de 1915, quando se declarou uma epidemia a bordo e o seu comandante se viu constrangido a solicitar socorro médico num porto neutro : Newport News, na Virgínia. A 6 de Abril de 1917, data da declaração de guerra dos E.U.A. à Alemanha, a guarnição do navio foi feita prisioneira e o antigo paquete integrado na armada dos Estados Unidos (com o mesmo estatuto de cruzador auxiliar), que o rebaptizou com o designativo de «Von Steuben» e o utilizou, essencialmente, como transporte de tropas entre a América do norte e a Europa. Três acontecimentos importantes sobressaiem da história do navio, enquanto unidade da ‘US Navy’ : um violento abalroamento com o USS «Agamemnon»; ter sido apanhado pela onda de choque, que devastou o porto de Halifax, no Canadá, aquando da explosão do navio francês «Mont Blanc» ( a maior explosão jamais provocada pelo homem, até aos ensaios nucleares do Novo México); e o seu indeciso afrontamento com o submarino «U-151». Desmobilizado depois da assinatura do armistício, o navio continuou, no entanto (sob o nome de «Baron von Steuben»), a servir os interesses da marinha de guerra norte-americana. Até que, em 1923, foi considerado dispensável e desmantelado pela firma especializada Boston Iron & Metals Cº.

Sem comentários:

Publicar um comentário