sexta-feira, 22 de abril de 2011

«PARTHIA»


Foi o segundo paquete da famosa companhia Cunard a usar este nome. Lançado ao mar no ano de 1947 pelos estaleiros Harland & Wolff, de Belfast, o «Parthia» foi concebido para a linha Liverpool-Nova Iorque e para receber um número limitado de passageiros de 1ª classe, que nunca ultrapassou o número de 250. Era um navio relativamente pequeno para uma linha tão prestigiosa e concorrida, de modo que, quando acabou a sua carreira na Cunard, em 1961, já só fazia carreiras para o Canada, país para onde o tráfego de passageiros era menos intenso. O «Parthia» apresentava-se como um navio com 13 362 toneladas de arqueação bruta e medindo 162 metros de comprimento por 21,40 metros de boca. A sua propulsão era assegurada por 2 conjuntos de turbinas a vapor, que desenvolviam 15 000 shp e por caldeiras a ‘mazout’, que lhe imprimiam uma velocidade de cruzeiro da ordem dos 17 nós. Para maior comodidade dos seus passageiros, o «Parthia» foi equipado, em 1953, com estabilizadores Denny-Brown, uma inovação para o tempo. Como já referido, o paquete foi vendido em 1961 (depois de sofrer algumas transformações, que lhe aumentaram substancialmente o número de cabines) à companhia P. & O., que o pôs a navegar para a Nova Zelândia com o novo nome de «Remuera». Com o derradeiro designativo de «Aramac», o navio esteve também na carreira de Hong Kong e da Austrália. O paquete foi vendido em fins de 1969 para a sucata e desmantelado, logo no ano seguinte, num estaleiro de Taiwan. Curiosidades : Durante uma cerimónia ocorrida no ano de 1950, o «Parthia» recebeu a bordo a sineta do navio misto (vela/vapor) que, com o mesmo nome, o precedera na Cunard; um navio histórico que realizara a proeza de navegar durante 86 anos. O «Parthia» tinha um gémeo, o «Midia». Eram os navios preferidos da estrela de cinema Katherine Hepburn, nas suas deslocações à Europa.

Sem comentários:

Publicar um comentário