sexta-feira, 18 de março de 2011

«PRÍNCIPE PERFEITO»


Paquete português encomendado pela Companhia Nacional de Navegação aos estaleiros britânicos Neptune (concessionados à firma Swan Hunter & Higham Richardson, Ltd) de Newcastle-upon-Tyne, que o lançaram ao mar no dia 22 de Setembro de 1960. Era um elegante navio com cerca de 20 000 toneladas de arqueação bruta e medindo 190,40 metros de comprimento por 23,90 metro de boca. A sua motorização era constituída por 2 grupos de turbinas a vapor desenvolvendo uma potência global de 24 270 shp. E a sua velocidade máxima era de 21 nós. O «Príncipe Perfeito» era tripulado por 320 pessoas e dispunha de acomodações para 1 000 passageiros, distribuídos por três classes distintas : 1ª, turística A e turística B. Para além do espaço reservado aos passageiros, este paquete estava equipado com quatro porões para carga geral (incluído frigorífica) com um volume de 10 472 m3. O «Príncipe Perfeito» realizou a sua viagem inaugural, entre Lisboa e a cidade da Beira (Moçambique), com várias escalas intermediárias; com partida a 27/06/1961 e regresso em Novembro desse mesmo ano à capital portuguesa, onde estava registado. A África (ex-portuguesa) foi o seu destinho privilegiado, mas o navio também viajou no Mediterrâneo, no mar das Caraíbas e para portos da América do norte, aquando de cruzeiros organizados pelo seu armador. Como todos os navios lusos do seu tempo, o «Príncipe Perfeito» esteve ligado aos factos dramáticos produzidos pela guerra do Ultramar, transportando soldados e evacuando (depois de ter sido fretado pelo Instituto de Apoio ao Retorno de Nacionais) milhares de refugiados portugueses. Em Abril do ano de 1976, o paquete foi vendido à companhia saudita Global Transportation Inc. (sedeada no Panamá), que lhe alterou o nome para «Al Hasa». Depois, mudou várias vezes de mão e de bandeira, chamando-se, sucessivamente, «Fairsky», «Vera» e «Marianna IX». Até que, em 2001, esta antiga glória da marinha mercante lusa foi enviada para a sucata, sendo desmantelada, nesse mesmo ano, num estaleiro de Alang (Índia).

Sem comentários:

Publicar um comentário