terça-feira, 13 de abril de 2010

«DAUPHINE»


Era uma galé (de comando) do século XVIII, pertencente à frota do Mediterrâneo do rei Luís XIV. A França utilizou, nesse mar e durante vários séculos, uma numerosa armada de navios deste tipo. Os quais eram, tal como a «Dauphine», movidos por velas latinas (duas, neste caso) e por uma ‘chiourme’ de remadores, que (também neste caso preciso) ascendia a 392 galerianos. Este navio media 60 metros de comprimento e estava armado com seis bocas de fogo, de diversos calibres, concentradas na proa e servidas por um corpo de 14 artilheiros. Além dos remeiros –que eram, geralmente cativos de guerra ou prisioneiros de direito comum- a «Dauphine» dispunha de um número variável de marinheiros (40 deles utilizados, exclusivamente, nas manobras da vela grande) e de 100 soldados de várias especialidades. Toda esta gente recebia ordens de 8 oficiais superiores e de 19 outros chefes subalternos. Depois de terem perdido eficácia militar, as galés permaneceram como instituição penal até 1748, ano em que um decreto do rei Luís XV aboliu, definitivamente, esse duro castigo. A «Dauphine» ainda sobreviveu, por mais alguns anos, a essa lei e, em 1792, recebeu um derradeiro nome : «L’Espérance».

Sem comentários:

Publicar um comentário