quarta-feira, 14 de abril de 2010

«BARTOLOMEU DIAS»


Fragata portuguesa com o indicativo de amura F 333. É a ex-«Van Nees», pertencente à classe ‘Karel Doorman’ da marinha de guerra neerlandesa. Foi construída por um estaleiro de Flushing e lançada à água em 1992. Aumentada ao efectivo dos navios da nossa armada em 2009, esta fragata desloca 3 320 toneladas e tem as seguintes dimensões : 122,30 m de comprimento por 14,40 m de boca. O seu calado é de 4,30 m. Dispõe de um poderoso sistema propulsivo que lhe permite atingir uma velocidade máximo da ordem dos 30 nós. A sua autonomia é (com a velocidade estabilizada a 18 nós) de 9 000 km. A sua guarnição é constituída por 156 oficiais, sargentos e praças. Apresenta uma reduzida assinatura radar e está equipada com moderníssimos sistemas de navegação, de detecção e de defesa antiaérea. A nova «Bartolomeu Dias» está armada com uma peça de 76 mm , com uma outra de 30 mm e com 2 tubos lança-torpedos, além de dispor de dois sistemas de disparo de mísseis : o primeiro armado com 16 projécteis Raytheon ‘Seasparrow’ (antiaéreos) e o segundo com 8 Boeing ‘Harpoon’ (antinavios). Para além de missões de combate, a F 333 também deve poder cumprir tarefas de patrulha costeira e outras de carácter humanitário, como, por exemplo, o resgate de refugiados e o apoio a populações atingidas por catástrofes naturais. O navio dispõe de uma área de aterragem, de modo a poder utilizar um helicóptero ‘Super Lynx’ Mk 95. Este navio é gémeo do NRP «D. Francisco de Almeida» (também ele adquirido nos Baíses Baixos) e veio -como o supracitado- substituir as duas últimas fragatas da classe ‘João Belo’ cedidas à marinha de guerra do Uruguai.

Sem comentários:

Publicar um comentário