segunda-feira, 5 de abril de 2010

«COMANDANTE JOÃO BELO»


Fragata da Armada Portuguesa lançada à água no dia 22 de Março de 1966 pelos estaleiros da firma Ateliers et Forges de la Loire (Nantes). Derivava da classe francesa ‘Commandant Rivière’. Foi integrada na nossa marinha de guerra em 1968, com o indicativo de amura F480. Era um navio com 108,50 m de comprimento por 12 m de boca. Deslocava 2 250 toneladas e tinha uma autonomia de 7 500 milhas náuticas com velocidade estabilizada a 15 nós. A sua velocidade máxima ultrapassava, no entanto, os 23 nós. O seu sistema propulsivo era constituído por 4 motores diesel totalizando uma potência 16 000 cv. O armamento da «Comandante João Belo», cuja classe nacional compreendia três outros navios (o «Comandante Hermenegildo Capelo», o «Comandante Roberto Ivens» e o «Comandante Sacadura Cabral»), era constituído por 3 peças de 100 mm, por 2 de 40 mm, por um morteiro quádruplo de 305 (este retirado em 1989, após modernização do navio) e por tubos lança-torpedos. Estava dotada com sistemas de detecção de várias valências e dispunha de um dispositivo de detecção e medida de radioactividade. Esta fragata tinha uma guarnição de 164 homens. Tomou parte em missões de guerra aquando do conflito colonial e realizou várias viagens de instrução com alunos da Escola Naval. Foi abatida do serviço da Armada em 2008 e vendida à marinha de guerra uruguaiana, navegando agora com o seguinte indicativo : ROU «Uruguay».

Sem comentários:

Publicar um comentário