quinta-feira, 20 de março de 2014

«RÍMAC»

O «Rímac» foi o primeiro de todos os navios de guerra movidos a vapor a operar com bandeira de uma nação sul-americana. Pertenceu à armada do Peru, que o encomendou ao saber que a marinha de guerra chilena encarava a possibilidade de se dotar com navios deste tipo e também pelo facto de rivalidades políticas deixarem antever uma guerra regional. Encomendado aos Estados Unidos, este vapor foi construído nos estaleiros da empresa Brown & Bell, de Nova Iorque, que o lançaram à água em 1847. O «Rímac» deslocava 683 toneladas e media 52,12 metros de longitude por 8,53 metros de boca. O seu calado era de 3,20 metros. Estava equipado com 2 máquinas alternativas acopladas a 2 rodas de paletas laterais. A sua velocidade máxima era de 13 nós. Este navio de guerra, que tinha uma guarnição de 121 homens (incluindo o corpo de oficiais) estava armado com 6 peças de artilharia de origem britânica : 2 de 68 libras e 4 de 24 libras. O seu casco era de madeira, revestido de cobre e os seus 2 mastros utilizavam um aparelho do tipo bergantim. Outras características distintivas deste navio : 1 altaneira chaminé implantada a meia-nau; rica decoração (com motivos solares) das caixas de rodas; escudo nacional, revestido de ouro, na popa. Depois de resolvidos alguns problemas, relacionados com as caldeiras originais, que acabaram por ser substituídas, o «Rímac» participou na guerra civil de 1854, prestando, essencialmente, serviços no domínio do transporte de tropas. No ano seguinte, em 27 de Fevereiro de 1855, esta unidade da armada peruana zarpou do porto de Callao com mais de 400 pessoas a bordo, rumo a Islay. Muitas delas eram soldados desmobilizados do exército, que voltavam para as suas casas. No dia 1º de Março, em circunstâncias pouco claras (erro de navegação ?), o «Rímac» encalhou violentamente na costa rochosa de Punta San Juan (actual Marcona) e perdeu-se totalmente. Menos de 100 passageiros sobreviveram à tragédia. A armada do Peru tem resgatado, no lugar do naufrágio deste seu navio, muitos objectos e peças provenientes do «Rímac»; que estão expostas no Museu Naval de Callao. Curiosidade : trinta anos depois deste dramático naufrágio, também ali se perdeu um paquete europeu de nome «Italia».

Sem comentários:

Publicar um comentário