terça-feira, 11 de março de 2014

«SLAVA EKATERINY»

Vaso de guerra da marinha imperial russa do último quartel do século XVIII. Construído em 1783 nos estaleiros de Kherson (situados no curso do rio Dniepre), este navio de 66 canhões foi a primeira unidade de grande porte a ser realizada pela indústria naval daquela região e a integrar a frota de Catarina II no mar Negro. O principal responsável pela construção do «Slava Ekateriny» (cujo nome se traduz por 'Glória de Catarina') foi Ivan Hanibal, general comandante da praça de Kherson, filho de um servidor de Pedro, o Grande. Refira-se, a título de curiosidade, que este empreendedor militar era de origem africana e foi um dos antepassado de Alexandre Puchkine, o 'Príncipe dos Poetas Russos'. Navio imponente, o «Slava Ekateriny» conjugava qualidades náuticas apreciadas  e repertoriadas com uma ornamentação belíssima (sobretudo do castelo de popa), tão ao gosto do seu tempo. O primeiro capitão deste navio foi Marko Vojnovic, conde do Montenegro. O «Slava Ekateriny» (cujas dimensões não conseguimos estabelecer, pelo facto das fontes consultadas não recorrerem ao sistema métrico, mas aos 'pés imperiais') participou nalgumas das batalhas engendradas pelos conflitos geopolíticos regionais. Nomeadamente contra os Turcos, potência rival da Rússia Imperial na zona do mar Negro. O mais importante desses confrontos terá sido a batalha do estreito de Kerch (também chamada de Yenikale), travada a 19 de Julho de 1790, durante a qual o almirante Fiodor Fiodorovitch Uchhalov, o comandante dos navios moscovitas, venceu uma frota otomana (sob as ordens de Kapudan Pachá Hussein), que tentava desembarcar tropas na península da Crimeia. Não nos foi possível averiguar em que ano e em que circunstâncias desapareceu este navio russo.

Sem comentários:

Publicar um comentário