sexta-feira, 9 de outubro de 2009

«SHOKAKU»


Porta-aviões da armada imperial japonesa, irmão gémeo do «Zuikaku». Foi construído nos estaleiros da sociedade Kawasaki, de Kobé, e lançado à água no dia 1 de Junho de 1939, poucos meses antes da entrada em guerra do Império do Sol Nascente contra os Estados Unidos da América. Deslocava 32 000 toneladas (em plena carga) e media 257,50 m de comprimento por 26 m de boca. O seu sistema propulsor desenvolvia uma potência de 160 000 cv e permitia ao navio atingir a velocidade máxima de 34,5 nós. O seu raio de acção podia estender-se até 9 700 milhas náuticas, com o navio a deslocar-se a uma velocidade mediana. O «Shokaku» estava armado com 16 canhões de 127 mm e com 70 peças AA de 25 mm. O seu efectivo aéreo era composto por 84 aviões de vários tipos. Tinha uma guarnição de 1 850 homens. O «Shokaku» participou em algumas das mais significativas operações de guerra ocorridas na zona Índico-Pacífico : ataque a Rabaul, apoio à invasão da Nova Guiné, batalha do Mar de Coral (durante a qual foi atingido gravemente pelos aviões do «Yorktown»), batalhas das Salomão orientais e de Santa Cruz. Depois de ter reparado as avarias infligidas por bombardeiros inimigos aquando deste último confronto com as forças inimigas, o «Shokaku» voltou ao combate, participando ainda em duas batalhas aeronavais importantes, ocorridas em 1944 : defesa das ilhas Marianas e operações do Mar das Filipinas. Foi no decorrer deste último combate -a 19 de Junho- que este porta-aviões japonês foi afundado por quatro torpedos disparados do submarino norte-americano «Cavalla». No desastre morreram 1 272 membros de equipagem do «Shokaku».

Sem comentários:

Publicar um comentário