quinta-feira, 7 de setembro de 2017

«TAORMINA»

Paquete italiano, construído -por encomenda da Italia Società di Navigazione a Vapore- nos estaleiros D. & W. Henderson, de Glásgua (Escócia), no ano de 1908. Apresentava 8 272 toneladas de arqueação bruta e as seguintes dimensões : 146,91 metros de longitude por 17,75 metros de boca. A sua motorização era composta por 2 máquinas a vapor acopladas a 2 hélices, cuja força lhe proporcionava uma velocidade máxima de 16 nós. Vocacionado, prioritariamente, para o transporte de emigrantes com destino à América do norte, o «Taormina» podia acolher a bordo 60 passageiros de classe privilegiada e 2 500 viajantes de 3ª classe. A sua viagem inaugural partiu de Génova a 3 de Setembro de 1908 com destino a Filadélfia e escalas intermediárias nos portos de Nápoles e de Nova Iorque. Em 1909, sofreu uma transformação, para que pudesse receber mais 120 passageiros de 1ª classe. E no ano seguinte, nova reformulação dos seus interiores permitiu o transporte de mais 60 pessoas na classe superior e de 120 em 2ª classe. Em meados de Dezembro de 1911, fez a sua derradeira travessia transatlântica com as cores do seu primeiro armador. No ano seguinte integrou a frota do Lloyd italiano, que o colocou na sua linha Génova-Nápoles-Nova Iorque, na qual permaneceu até ao rebentamento da 1ª Guerra Mundial. Em 1918 mudou novamente de mãos, passando, desde então, a pertencer à Navigazione Generale Italiana; que o manteve na linha de Nova Iorque, com partida de Génova e escala em Marselha. Em Agosto de 1923, este paquete deixou temporariamente o Atlântico para passar a navegar em exclusividade no mar Mediterrâneo. Mas, para dizer adeus à vida activa, o «Taormina», regressou à linha de Nova Iorque em 1927, sendo depois desclassificado. O navio foi enviado para a sucata em 1929, procedendo-se ao seu desmantelamento num estaleiro especializado de Savona.

Sem comentários:

Publicar um comentário