quinta-feira, 3 de agosto de 2017

«ADMIRAL NAKHIMOV»

Paquete de bandeira soviética, que se chamou primitivamente «Berlin III», quando hasteou pavilhão alemão. Construído em 1925 pelos estaleiros Vulkan, de Bremen, pertenceu à companhia Norddeutscher Lloyd, que o colocou na sua linha da América do norte, que ligava os portos de Bremen e Nova Iorque, com escalas em Southampton e Cherburgo. Depois de ter rebentado a 2ª Guerra Mundia, foi retirado do serviço transatlântico e, depois de importante restauro, passou a servir o estado hitleriano enquanto navio de cruzeiros da 'Kraft Durch Freude' (Força pela Alegria) e, posteriormente, como navio-hospital. Nesta sua última versão, o «Berlin III» podia acolher 400 pacientes, para além das equipas médicas e, naturalmente, da sua tripulação. Operou, essencialmente, em águas do norte da Europa, onde também participou em operações de repatriamento de militares acossados pelo Exército Vermelho na frente de leste. Em 1945, depois de ter chocado com duas minas, foi abandonado numa praia próxima de Kiel. Capturado pelos russos, o navio foi restaurado (em 1949) e colocado à disposição da marinha mercante moscovita, que o integrou na frota do mar Negro. Foi então que recebeu o nome de «Admiral Nakhimov», um dos heróis russos da Guerra da Crimeia. Esteve implicado (no início dos anos 60) no transporte de armamento para Cuba, operação que envolveu vários navios de bandeira vermelha e provocou a famosa crise dos mísseis com a administração Kennedy. Mais tarde, especializou-se nos cruzeiros turísticos no mar Negro, fazendo o trajecto Odessa-Batumi e transportando -em cada uma das suas viagens- uma média de mil passageiros. Teve um fim trágico, quando, a 31 de Agosto de 1986, navegando entre Novorossiisk e Sotchi, colidiu com o cargueiro, também ele soviético, «Piotr Vasev»; que chegava à URSS com os porões cheios de cereal importado do Canadá. O choque (cuja responsabilidade foi imputada ao capitão do cargueiro) foi medonho e provocou no casco do paquete um rombo de 84 m2; por onde a água entrou e acabou por invadir a casa das máquinas. Centenas de passageiros (que eram 888 a bordo) e alguns membros de equipagem (que eram à volta de 350) ao verem o navio virar-se e soçobrar -o que aconteceu em apenas 7 minutos- atiraram-se ao mar, que rapidamente, se cobrira de combustível. Apesar da chegada célere de socorros (64 embarcações e 20 helicópteros), não foi possível salvar 423 pessoas, das quais 64 eram membros da tripulação. O «Admiral Nakhimov» apresentava 15 286 toneladas de arqueação bruta (depois dos trabalhos de restauro executados pelos soviéticos) e media 174 metros de comprimento por 21 metros de boca. A sua velocidade máxima era de 16 nós. Quando passou sob a autoridade de Moscovo, este navio foi integrado na frota (estatal) da Companhia de Navios do Mar Negro.

Sem comentários:

Publicar um comentário