sexta-feira, 20 de abril de 2018

'YVETTE»

Lugre-patacho de bandeira francesa, construído especialmente para a faina maior nos Grandes Bancos do Canadá. Este navio de 400 tonéis (com casco em madeira) estava registado no porto de Granville, na Normandia. Já após ter feito a campanha de pesca de 1909, da qual regressou (proveniente de Saint Pierre e Miquelon) com o bojo a abarrotar de bacalhau salgado, o «Yvette» fez-se à vela para Fécamp, onde a sua tripulação pretendia descarregar 80 000 bacalhaus destinados às importantes secas locais. Mas, devido a uma inesperada e rija tempestade, o navio foi empurrado para terra e acabou por varar num trecho rochoso da costa, próximo do Conquet. O seu capitão e alguns homens da equipagem desembarcaram para pedir ajuda para safar o lugre, mas tiveram de desistir dessa empresa, por evidente falta de meios. Estava-se no dia 2 de Outubro do acima referido ano. E o «Yvette», assim como a sua preciosa carga de pescado, acabou mesmo por ceder à fúria dos ventos e do mar, perdendo-se por completo. A marinhagem pôde, no entanto e felizmente, sobreviver ao desastre. A frota bacalhoeira francesa, que nessa primeira década do século XX, era uma das mais numerosas e produtivas do mundo tem, tal como a nossa, uma história trágico-marítima marcada pela perda de muitos navios e equipagens...

Sem comentários:

Publicar um comentário