sexta-feira, 20 de abril de 2018

«CUBA»


O paquete «Cuba» (com uma arqueação bruta de 11 900 toneladas e 151 metros de comprimento) foi construído em Inglaterra, pelos estaleiros da empresa Swan, Hunter & Richardson, de Newcastle. Foi registado no porto do Havre e integrado na frota da Compagnie Générale Transatlantique em Maio de 1923. Aquando da sua viagem inaugural, este navio partiu de Saint Nazaire e dirigiu-se para Vera Cruz (no México) depois de ter escalado Havana. Em 1930 passou a servir Colón (na costa atlântica de Panamá). E, cinco anos mais tarde, foi -a par do seu congénere «Colombie»- colocado na linha rápida Havre-Southampton-Antilhas. Foi por essa altura, que (já todo pintado de branco) este paquete francês foi vertido, ocasionalmente, para o serviço de cruzeiros, e que fez as suas primeiras viagens ao Báltico e ao arquipélado de Spitzberg. Em 1940 -no início da Segunda Guerra Mundial- o «Cuba» foi apresado pelo cruzador-auxiliar britânico «Moreton Bay» e levado para Freetown, na África Ocidental. Em 1941, este transatlântico (já com bandeira de Sua Majestade e ao serviço do 'Ministry War Transport') navegou para a costa leste dos Estados Unidos com um carregamento de cacau. E ali, nos estaleiros de Newport News, foi transformado em navio de transporte de tropas. Terminados esses trabalhos, o «Cuba» assegurou, numa primeira missão, o transporte -entre Halifax e Liverpool- de 2 100 elementos da aviação canadiana. Desde logo, este navio passou a operar, essencialmente, na zona Mediterrâneo-Suez-Índico, tendo participado na transferência de militares aliados para as frentes do norte de África e de Itália. Em Outubro de 1943, o «Cuba» transportou para Barcelona uma leva de prisioneiros alemães (sobretudo ex-combatentes do 'Afrika Korps'), que, naquele porto espanhol, foram trocados por prisioneiros dos Aliados. Convém referir que, nesse tempo, o antigo paquete da CGT já navegava com uma equipagem composta por elementos das Forças Navais da França Livre (FNFL), afecta à pessoa do general De Gaulle e à Resistência. E que, em Dezembro de 1944, quando o conflito se aproximava do seu termo, essa tripulação foi substituída por pessoal do seu armador original; que prosseguiram a missão de transportar militares. Na manhã de 6 de Abril de 1945, quando navegava (com 265 pessoas a bordo) do Havre para Southampton, o «Cuba» foi alvejado e afundado (a 8 milhas de Bambridge) pelo submarino alemão «U-1195»; que, refira-se a título anedótico, foi, pela mesma ocasião, destruído pelo contratorpedeiro HMS «Watchman». O naufrágio do «Cuba» foi o derradeiro de um mercante francês, ocorrido durante o segundo conflito generalizado. Notas : a escassa informação existente sobre o navio em apreço, não nos permitiu incluir neste articuleto dados sobre as suas principais características físicas e outras; também não nos foram facultadas fontes com informação sobre as eventuais vítimas do seu torpedeamento.

Sem comentários:

Publicar um comentário