domingo, 22 de abril de 2018

«ABDA»

Anteriormente denominado «Koning Wilhem I», este navio, que hasteou bandeira dos Países-Baixos durante quinze anos, foi construído (em 1898) no estaleiro Royal Schelde, de Flessingen, para a companhia de navegação N. V. Stoomvaart Maats Nederland, com sede em Amesterdão. Adquirido pela Compagnie de Navigation Marocaine et Armenienne-Paquet (de Marselha), recebeu o novo nome de «Abda» e foi colocado numa linha rápida e directa que ligava a mais populosa cidade do sul de França a Marrocos. Na qual este paquete se manteve até 1915, ano em que -por causa da Grande Guerra- foi requisitado e transformado em navio auxiliar da armada gaulesa e usado como transporte de tropas. Nesse tempo, o navio em apreço apresentava as seguintes características : 4 332 toneladas de arqueação bruta, 116,40 metros de comprimento e 13,70 metros de boca. A sua propulsão era garantida por 1 máquina a vapor de quádrupla expansão, que lhe imprimia uma velocidade de cruzeiro de 14 nós. Podia transportar 944 passageiros em quatro classes distintas. Número que aumentou substancialmente na sua verão tropeira. Regressou à sua actividade civil no decorrer do ano de 1917. Em Setembro de 1931, o «Abda» zarpou de Marselha pela última vez. E, depois de um curto espaço de tempo passado no estaleiro de La Seyne-sur-Mer -onde lhe foram retiradas algumas peças ainda aproveitáveis, foi levado para Génova (no início de 1932), onde se procedeu ao seu desmantelamento. O «Abda» foi o navio em que -a 28 de Agosto de 1928- embarcou o famoso chefe rebelde Abd el-Krim (protagonista da guerra do Rif, contra franceses e espamhóis), para ser conduzido ao seu exílio forçado na ilha da Reunião. De onde esse herói do mundo árabe logrou evadir-se, após 22 anos de detenção.

Sem comentários:

Publicar um comentário