quinta-feira, 16 de outubro de 2014

«FRIEDRICH WILHELM ZU PFERDE»


Fragata da marinha de guerra brandeburguesa. Realizado nos estaleiros de Pillau (hoje Baltijsk, na Rússia), sob a orientação de mestre Gillis Cornelius Peckelhring -um holandês que aqui aplicou as técnicas de construção do seu país de origem- este navio foi lançado à água a 25 de Abril de 1681 e levado para Koningsberg (agora Kaliningrad), onde foi concluído e equipado. Só em 1684 seria integrado oficialmente na armada do Grande Eleitor. Nessa altura, o «Friedrich Wilhelm zu Pferde» apresentava-se como um navio de 900 toneladas, medindo 59 metros de comprimento por 10 metros de boca e dotado com uma artilharia composta por 56 canhões de vários calibres. A sua guarnição, de 250 elementos, compreendia marinheiros e homens de armas. Esta fragata era irmã gémea da «Berlin». O «Friedrich Wilhelm zu Pferde» ajudou, enquanto navio de escolta, a proteger os mercantes prussianos no seu comércio com vários portos da Europa, mas também aqueles que navegavam nas rotas de África e das Índias Ocidentais. Em 1685 este navio tinha em Emden a sua base e na pessoa de Hans, o Sábio, o seu capitão. No seu historial, assinala-se uma viagem ao golfo da Guiné, em 1692, durante a qual apresou dois navios franceses. No ano seguinte carregou, nas mesma paragens, 700 escravos, que levou para as Ilhas Virgens, após uma escala em São Tomé. E, no dia 29 de Agosto desse mesmo ano, zarpou das Antilhas rumo a Cádiz com um carregamento de cacau, que o seu comandante tinha a intenção de trocar, naquele porto andaluz, por tonéis de bom vinho espanhol. A 31 de Outubro de 1693, o «Friedrich Wilhelm zu Pferde» encontrou-se -nas proximidades do estreito de Gibraltar- com quatro navios hasteando o pavilhão real de França, que o atacaram e saquearam, antes de lhe deitarem o fogo. A guarnição do navio brandeburguês foi capturada e transferida para os navios agressores; que, posteriormente, os entregaram às autoridades militares do porto de Brest.

Sem comentários:

Publicar um comentário