domingo, 2 de julho de 2017

«CABO DE BUENA ESPERANZA»

Navio espanhol de utilidade mista (passageiros/carga). Navegou sob pavilhão ibérico ('bandera oro y sangre') desde 1940, ano em que, depois de ter sido adquirido nos Estados Unidos pela Ybarra y Cia., tomou o nome de «María del Carmen». Por muito pouco tempo, já que, ainda nesse mesmo ano, passou a chamar-se, dessa vez definitivamente, «Cabo de Buena Esperanza». Este navio nasceu nos estaleiros da firma Shipbuilding Corporation, de Camden, Nova Iorque, em 1920, onde foi baptizado com o nome original de «Hoosier State». Tomou, em 1922,, o seu último nome americano de «President Lincoln». Pertenceu, primitivamente, à frota da companhia Dollar Steamship Company, sendo transferido posteriormente para a American President Line. Foi o primeiro paquete a operar na carreira regular San Francisco-Manila. Após a sua transferência para a Europa e de ter sido registado em Sevilha, o «Cabo de Buena Esperanza», foi colocado na linha da América do Sul, servindo Barcelona (cidade de partida da carreira), Cádiz, Santa Cruz de Tenerife, La Guaira, Curaçau, Rio de Janeiro, Santos, Montevideu e Buenos Aires. Assim chamado em honra do promontório descoberto, em fins do século XV, pelo navegador português Bartolomeu Dias, este navio teve uma vida mais ou menos tranquila, apesar de ter feito muitas travessias transatlânticas durante os anos perigosos da 2ª Guerra Mundial. Dois factos marcantes inscrevem-se no seu historial : nos anos 40, em pleno oceano Atlântico, o «Cabo de Buena Esperanza» resgatou um hidroavião do couraçado HMS «Malaya» e respectiva tripulação, desembarcando aparelho e homens (são e salvos) em Santa Cruz de Tenerife. E, em 1946, coube-lhe a suprema honra de transferir para território espanhol os restos mortais do grande compositor e músico Manuel de Falla, que havia falecido na Argentina. O navio em apreço apresentava, na sua fase final, as seguintes características : 12 594 toneladas de arqueação bruta; 170,28 metros de comprimento por 32,82 metros de boca por 7,62 metros de calado. A sua propulsão era assegurada por um sistema propulsivo (equipado com 4 turbinas a vapor) que desenvolvia uma potência de 13 200 hp e que lhe proporcionava uma velocidade máxima de 17 nós. A sua tripulação era constituída por 206 membros; que estavam ao serviço dos 560 passageiros (300 em 1ª classe) que o navio podia transportar. O «Cabo de Buena Esperanza» foi desmantelado em 1958 num estaleiro especializado do porto de Barcelona. Deixou muitas saudades àqueles que o utilizaram, mormente aos milhares de emigrantes europeus que nele embarcaram para se fixar em vários países da América do Sul.

Sem comentários:

Publicar um comentário