sexta-feira, 16 de março de 2018

«PRINCESSE MARIE JOSÉ»

Este navio foi construido nos estaleiros de John Cockerill, em Hoboken (Antuérpia); que o lançaram à água no dia 29 de Outubro de 1922. Destinado ao tráfego de passageiros entre Ostende e Dover, o «Princesse Marie José» apresentava-se como um navio de 1 821 toneladas de arqueação bruta e media 106 metros de comprimento por 12 metros de boca. O seu calado era de 7 metros. A sua viagem inaugural ocorreu em 19 de Junho de 1923. Infelizmente, não nos foi possível obter informações sobre outras das suas características, nomeadamente sobre a sua motorização e 'performances'. Podia transportar -em condições de relativo conforto- muitas centenas de passageiros. O único incidente que se lhe conhece antes da 2ª Guerra Mundial, teve lugar nos primeiros minutos do dia 8 de Agosto de 1937, quando este 'ferry' foi violentamente abalroado pelo cargueiro inglês «Clan MacNeil». O navio belga teve o seu bojo esventrado e houve 5 feridos graves a bordo. Só a proximidade do porto francês de Dunquerque (para onde foi conduzido a reboque) evitou o seu afundamento. Levado posteriormente para Ostende, onde foi reparado, o «Princesse Marie José» voltou ao seu vaivém habitual entre a Bélgica e o sul de Inglaterra. Quando rebentou o conflito com a Alemanha nazi, o navio foi (para evitar a sua captura pelos hitlerianos) apreendido pela 'Royal Navy', que o utilizou (sob vários nomes : «Southern Islands», «Nemesis» e «Baldur») até 1946. Nesse ano regressou às origens e, com o seu nome de baptismo, serviu (como navio auxiliar) nas Forças Navais Belgas. Obsoleto, foi desmantelado em 1947. Curiosidades : este navio usou o nome de uma filha do rei Alberto I; que, depois do seu casamento com Umberto de Sabóia, foi rainha (efémera) de Itália. A foto do navio aqui anexada, mostra o «Princesse Marie José» encalhado numa praia de Dunquerque, aquando do incidente de 1937.

Sem comentários:

Publicar um comentário