sexta-feira, 16 de março de 2018

«SARDHANA»


Veleiro de transporte (barca de 3 mastros) de bandeira norueguesa. Foi construído em 1885 nos estaleiros Russell & Company, de Greenock (Escócia) para o armador britânico W. & J. Crawford, que lhe deu o nome que sempre usou, «Sardhana»; isso, apesar de navio ter mudado várias vezes de mão e de bandeira. Com efeito, depois de ter sido vendida a armadores ingleses, esta barca integrou a frota da companhia norueguesa Karl Bruusgaard, Sigurd & Martin, de Drammen, na qual permaneceu entre 1911 e 1914. Passou depois para a posse da E. Monsen, de Tvedestrand, que a conservou até 1916. Mais tarde, foi adquirida por novo armador norueguês, Hans I. Larsen, de Porsgrunn, que a conservou até 1918, ano do desaparecimento deste veleiro. Apresentava uma arqueação bruta de 1 144 toneladas e media 65,90 metros de comprimento por 10,70 metros de boca por 6,50 metros de calado. Percorreu mares e oceanos, com predominância para o Atlântico (norte e sul), até que, em 5 de Julho do derradeiro ano da Grande Guerra, foi abandonada pela sua tripulação; na sequência e uma tempestade que a acometeu, durante uma viagem que realizava entre Buenos Aires e Nova Iorque. Essa decisão foi tomada depois de constatado o perigo imediato de soçobro e de se ter verificado a perda do seu carregamento de linho. Os tripulantes escaparam do navio em perdição nos escaleres de bordo. Alguns deles foram resgatados ao mar (10 dias mais tarde) pelo navio inglês «Polish Monarch», que os desembarcou, sãos e salvos, no porto de Montevideu. Infelizmente, 12 marinheiros do «Sardhana» foram dados como desaparecidos...

Sem comentários:

Publicar um comentário