quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

«D. LUIZ»


O navio fluvial «D. Luiz» foi um dos antepassados dos modernos catamarãs que, nos nossos dias, cruzam o estuário do Tejo -com passageiros- entre Lisboa e o Barreiro. Era um pequeno vapor de rodas laterais, movido por 1 única máquina alimentada a carvão. Infelizmente, nunca conseguimos encontrar documentação descrevendo, com exactidão, as suas características físicas e técnicas. É pena, porque este navio teve uma ligação directa a um evento histórico de primeira grandeza; embora o «D. Luiz» não tenha tido, no dito, papel de relevância. Foi, com efeito, este vapor que, no dia 1 de Fevereiro de 1908, transportou a família real (proveniente de Vila Viçosa) do Barreiro até ao Terreiro do Paço. Onde a esperava Alfredo Costa e Manuel Buíça, membros da Carbonária e autores materiais do Regicídio. Atentado causador da morte do soberano e do príncipe herdeiro, que ocorreu (na esquina da rua do Arsenal) poucos minutos depois do seu desembarque. Curiosidade : a imagem anexada mostra, à esquerda, um navio similar (vapor de rodas) ao «D. Luiz» atracado na estação fluvial do Barreiro em inícios do século XX.

Sem comentários:

Publicar um comentário