sábado, 22 de fevereiro de 2014

«CAPETOWN CASTLE»

Construído em Belfast pelos estaleiros Harland & Wolff  (que o lançaram ao mar no dia 23 de Setembro de 1937), este paquete pertenceu à frota da companhia britânica Union-Castle Line, que o colocou, em 1938, na linha África do Sul-África Oriental. O «Capetown Castle» era um navio com 27 000 tomeladas de arqueação bruta, medindo 224 metros de comprimento por 25,15 metros de boca. A sua propulsão era assegurada por 2 máquinas diesel desenvolvendo uma potência global de 24 000 bhp. Uma força que lhe permitia deslocar-se à velocidade máxima de 22,5 nós. A sua carreira comercial foi interrompida em 1940 por causa da Segunda Guerra Mundial. Durante o conflito, este paquete, que entretanto fora transformado em navio de transporte militar, percorreu 484 000 milhas náuticas e recebeu a bordo 164 000 militares. Terminado o conflito, o «Capetown Castle» sofreu grandes trabalhos de transformação, antes de ser devolvido (em Janeiro de 1947) ao seu armador e à actividade civil. Tinha, nessa altura, capacidade para 776 passageiros. Voltou à linha de África, mas também efectuou algum serviço de cruzeiros. Foi, aliás, durante uma excursão às Canárias (em Outubro de 1960) que este navio sofreu o maior e mais dramático percalço da sua vida civil. Nesse dia, quando chegava ao porto delas Palmas, o paquete foi sacudido por uma violenta explosão -ocorrida na casa das máquinas- que causou a morte de 7 dos seus tripulantes. O «Capetown Castle» navegou até meados dos anos 60 do século XX. Em 1967 foi considerado obsoleto e encaminhado para um estaleiro naval de La Spezia (Itália), onde se procedeu ao seu completo desmantelamento.

Sem comentários:

Publicar um comentário