sexta-feira, 11 de novembro de 2016

«A. J. GODDARD»

Esta modesta embarcação a vapor navegou entre 1898 e 1901 no curso superior do rio Yukon (Canadá), nos tempos, pois, da famosa corrida ao ouro de Klondyke. Foi realizado em São Francisco da Califórnia  e os elementos constitutivos do seu casco e da sua máquina a vapor levados para Skagway (no Alasca) e dali -com os sacrifícios que se imaginam- até às margens do lago Bennett, onde foi montado, peça por peça. O barco em apreço era propriedade de Albert J. Goddard, um importante homem de negócios norte-americano; que, com ele, pensou aumentar a sua fortuna, transportando homens e mercadorias até às concessões mineiras situadas ao longo do rio Yukon. Não se conhece o essencial das suas características físicas, que podem, no entanto, ser observadas graças a algumas fotografias que resistiram à prova do tempo. Parece que media uns 15 metros de comprimento e que a sua propulsão era assegurada por uma máquina de fraca potência (alimentada a lenha), acoplada a uma roda de pás instalada à popa. A sua tripulação não ultrapassava os 5 homens. A sua clientela era constituída, sobretudo, por garimpeiros e por outras pessoas ligadas à extracção e ao negócio do ouro. O seu primeiro armador integrou o vapor pioneiro «A. J. Goddard» numa firma então denominada The Upper Yukon Company. E parece que o vendeu a terceiros, que o exploraram comercialmente até ao seu naufrágio, ocorrido -nas águas do lago Laberge, em consequência de uma tempestade- no dia 22 de Outubro de 1901. Os seus destroços foram identificados e explorados, em 2010,  por uma equipa internacional de arqueólogos subaquáticos patrocinada pelo governo provincial do Yukon, pelo Institute of Nautical Archaelogy, pelo Yukon Transport Museum, pela OceanGate e por outras organizações sem fins lucrativos. De entre os despojos recuperados do vapor «A. J. Goddard» contam-se, curiosamente, um grafonola e 3 discos gravados em finais do século XIX.

Sem comentários:

Publicar um comentário