domingo, 31 de janeiro de 2010

«GIOVANNI DELLE BANDE NERE»


Cruzador ligeiro da armada italiana pertencente à classe ‘Condottieri’ e ao tipo (ou subclasse) ‘Alberto di Giussano’. O nome que foi dado a este navio é o de um chefe de guerra do século XVI que serviu a rica e influente família Medicis. Foi construído em 1930 pelos estaleiros da firma Navalmeccanica (em Castellammare di Stabia). Media 169,30 m de comprimento por 15,50 m de boca e deslocava 7 000 toneladas em plena carga. O seu sistema de propulsão, assente em 6 caldeiras e 2 turbinas, desenvolvendo 95 000 cv, imprimiam ao navio a velocidade máxima de 37 nós, o que fazia dele um dos vasos de guerra mais rápidos do seu tempo. Do armamento principal do «Giovanni delle Bande Nere» sobressaiam 8 peças de artilharia de 152 mm e 6 de 100 mm, além de 4 tubos lança-torpedos. Dispunha de uma catapulta que lhe permitia utilizar um hidro de reconhecimento e de correcção de tiro. A sua couraça era modestíssima e fora sacrificada em proveito da velocidade pura. O «Giovanni delle Bande Nere» participou em várias operações de guerra, nomeadamente no apoio à invasão da Albânia e nas batalhas navais do cabo Spada e do golfo de Sirta. No dia 1º de Abril de 1942, quando se dirigia (com a respectiva escolta) de Messina para La Spezia, foi interceptado nas proximidades da ilha Stromboli pelo submarino inglês HMS «Urge», torpedeado e afundado.

Sem comentários:

Publicar um comentário