domingo, 28 de março de 2010

«JOÃO DE LISBOA»


Aviso da Armada Portuguesa, pertencente à classe ‘Pedro Nunes’. Projectado pelo engenheiro naval Silvério Sousa Mendes, foi construído em Lisboa -no antigo arsenal da Ribeira das Naus- e lançado à água no dia 21 de Maio de 1936. Foi o último navio realizado por esse estaleiro militar. Deslocava 1 238 toneladas e podia navegar à velocidade máxima de 16 nós. O «João de Lisboa» media 70,5 m de comprimento por 10 m de boca. Estava armado com 2 peças de 120 mm, 2 outras de 47 mm, 4 metralhadoras de 40 mm, 4 morteiros e com 2 dispositivos para lançamento de cargas de profundidade. Da sua guarnição normal faziam parte 107 homens (oficiais, sargentos e praças). Este aviso de 2ª classe, que só integrou os efectivos da nossa marinha de guerra em fins de Outubro de 1937, cumpriu a sua primeira missão, realizando um périplo de África (de Novembro de 1937 a Abril de 1938) com um grupo de guarda-marinhas em viagem de instrução. Depois, efectuou uma comissão de serviço de 7 meses em Macau (1939-1940), com ida pelo canal de Suez e regresso pelo cabo da Boa Esperança. Mas a sua mais memorável viagem (1940-1942), foi uma circum-navegação da Terra, durante a qual o navio percorreu 28 000 milhas náuticas. Essa viagem durou (devido às contigências impostas pela Segunda Guerra Mundial, que então decorria) 625 longos dias. O «João de Lisboa» foi reclassificado como navio hidrográfico em 1961, e, nessa condição, prestou serviço no continente e ilhas adjacentes. Depois de ter sido abatido ao efectivo da Armada em 17 de Agosto de 1966, foi transformado em batelão até ser desmantelado.

Sem comentários:

Publicar um comentário